Raio bola em aeronave

A página não foi completamente carregada ou o navegador não suporta JavaScript. Textos Assim correspondem às notas.

Fairchild Metroliner III

Segue reprodução de um relato de Relâmpago Globular publicada na primeira seção do trabalho de John Abrahamson sobre o assunto.Recently reported sightings of ball lightning: observations collected by correspondence and Russian and Ukrainian sightings. John Abrahamson; A. V. Bychkov e V. L. Bychkov. Phil. Trans. R. Soc. Lond. A 2002, 360, 11-35. Acesso em 07/07/2010. O trecho entre colchetes representa comentários do próprio Abrahamson.

Seção 1

(t) Raio próximo do nariz do avião

Jim Mills (piloto de linha aérea comercial, Alaska Airlines, EUA). Email 2000. No momento do incidente, eu estava empregado como piloto da Horizon Air, uma linha aérea regional do noroeste controlada pela Alaska Airlines. Durante uma viagem diária em um Fairchild Metroliner III, eu observei, junto com certo número de passageiros a bordo, um fenômeno de relâmpago globular. Estávamos voando a 4,87 quilômetros perto de McCall, Idaho, EUA, quando nosso avião foi atingido por um relâmpago perto da área do nariz. Depois do choque, um objeto com brilho muito intenso levitou vagarosamente pelo corredor da aeronave, sendo claramente visível para os passageiros, flutuou para trás e desapareceu com um sonoro “pop”. Não pudemos pensar em nenhuma outra explicação exceto que aquele objeto era um raio bola. Alguns danos menores foram encontrados na aeronave como resultado do golpe.

[O avião aparenta ter sido atingido na parte dianteira direita doaporta de acesso à bagagem do nariz, também no Sistema de Prevenção de Perda de Sustentação (Stall Avoidance System – SAS) assim como no lado direito do avião. O raio soldou as palhetas do SAS, deixando o sistema inoperante. Ele também danificou os componentes internos do sistema. O raio pode certamente ter vaporizado uma pequena quantidade de alumínio, como dois ou três furos estavam presentes no porta bagagens do nariz, mas isso não explica como o raio bola poderia entrar no vaso de pressão da aeronave. Essa aeronave é pressurizada e o raio bola teria que passar por um anteparo de pressão selado para entrar na área da cabine. Nenhuma perda de pressão foi experimentada.]

OBSERVAÇÕES

A menção ao alumínio é uma tentativa de explicação por parte de  John Abrahamson. Ele desenvolveu a teoria do silício vaporizado para explicar a origem dos raio bola, considerando que o alumínio poderia substituir o silício nos casos ocorridos em aeronaves a grande altura. Essa teoria é discutida por nós no artigo Relâmpago Globular.

Contudo, caso o comportamento dos relâmpagos globulares originados do modo esperado pela hipótese do silício vaporizado seja semelhante àquele observado nas experiências da equipe do professor Antonio Carlos Pavão da UFPE,Antonio Carlos Pavão; Gerson Silva Paiva; Elder Alpes de Vasconcelos; Odim Mendes, Jr; Eronides Felisberto da Silva, Jr. Production of Ball-Lightning-Like Luminous Balls by Electrical Discharges in Silicon. Physical Review Letters 98, 2007. Acesso em 07/07/2010. o plasma pesado deveria dirigir-se imediamente ao solo, por gravidade, sem proporcionar avistamento tal como o relatado.

Quanto a entrada do raio bola na aeronave, há apenas duas possibilidades: ou ele transpassou o casco do avião, ou foi formado dentro dele. Como o raio atingiu a parte externa e o interior da nave é isolado, fichamos como tendo acontecido a primeira possibilidade.

O objeto tem as características do que classificamos como raio bola Tipo 1.Ver Relâmpago Globular. Não há informações sobre uma série de outros parâmetros. Fichamos a data como a do e-mail; consideramos o número de testemunhas como 5 (piloto mais alguns passageiros), com escolaridade superior (suposto nível do piloto); como não há ressalvas, consideramos que o brilho tenha sido constante, a forma esférica e o tamanho menor, que são os mais comuns; Atribuímos como duração até 5 segundos, tempo demasiado dentro de uma aeronave, mesmo considerando um deslocamento lento.  Como houve um relâmpago inicial, assumimos o tempo como tempestuoso. Os demais parâmetros são os que constam explicitamente no relato.

FICHAMENTO

Data: 20000000 | Latitude: 44.911006 | Longitude: -116.098736 | Relevância: 2 | Estranheza/Probabilidade: 32 | Testemunhas: Universitária | Objetos: 1 | Forma: Globo | Tamanho: Menor | Brilho: Constante | Duração: 0-5s | Término: Explodiu | Clima: Tempestuoso | Raio-Bola: Alto, Tipo 1 | Características: , | Pesquisadores/Envolvidos: .

TAGS: Meteorologia, Ocorrências.

Acesse Artigos Similares.

_____________________
ESSA OCORRÊNCIA AINDA NÃO FOI ANALISADA COM PROFUNDIDADE. SUAS AVALIAÇÕES SÃO APENAS PRELIMINARES. CONTRIBUA COM A SUA OPINIÃO.

_____________________
Entenda melhor qual a relação desse assunto com a ufologia, ou por que ele nos interessa, conhecendo o significado das tags e outros parâmetros de fichamento em Estruturação de Dados.

Críticas, acréscimos ou sugestões, comente ou Entre em Contato.
Caso tenha interesse, saiba COMO CONTRIBUIR com nossas pesquisas.

Comente

COMENTÁRIO

ATENÇÃO: Comentários são públicos. Para manifestações privativas, utilize Nosso Formulário. Comentários desrespeitosos, infundados ou fora de contexto serão removidos.

*

© 2003, 2010-2015. Ufologia Objetiva. Direitos reservados.
Cópias sem fins lucrativos permitidas, desde que citada a fonte.