OVNI’s em Análise

A página não foi completamente carregada ou o navegador não suporta JavaScript. Textos Assim correspondem às notas.

OVNI’s em Análise é um livro digital, com autoria de António Durval, Fernando J. Torres, José Sottomayor, Luís Alberto e Mário Neves, publicado em 2011 pela organização de pesquisa portuguesa Portuguese UFO Investigation (PUFOI).

⇒ OVNIs em Análise. PUFOI, 2011.Acesso em 14/01/2012. Se necessário, faça o Download (pdf, 8.66MB).

____________

Jovens que há mais de trinta anos se dispuseram, contra tudo e contra todos, a tentar descobrir os mistérios dos chamados “Ovnis”, se instruíram sobre essa matéria, se equiparam com o material possível, estudaram arduamente o fenômeno, durante metade das suas vidas, concluíram já alguma coisa, mas hoje já são “velhotes” (p.26).

É assim, com todo esse bom humor, que se definem os autores.

Talvez alguns achem intrigante verificar que, apesar dos notáveis disparates, a pesquisa sistemática e científica de fenômenos ufológicos já vem de longa data.

Constatando, com razão, a quase inexistências de informações sérias sobre o assunto, quase sempre contaminado pela ridicularização ou pelo oportunismo, os autores declaram como preocupação fundamental do seu trabalho “a tentativa de transmitir, em termos de balanço, qual a situação dos resultados obtidos, quais as novas reflexões que se impõem, quais os conhecimentos adquiridos e qual o melhor caminho a seguir no trajecto investigativo” (pp.6-7).

Entendemos que, em vários aspectos, a tentativa logrou êxito. Se não de forma completa, ao menos avançando de maneira considerável na direção proposta.

OVNI’s em Análise é uma obra extremamente rica. Há falhas menores na diagramação e uma organização um tanto estranha dos capítulos,Os capítulos VI e VIII poderiam ser fundidos, assim como os IX e X. O capítulo VII poderia compor parte do V e as considerações sobre abduções, no capítulo XII, não ficam bem no final do trabalho. A parte XI, homenageando aos pioneiros, poderia compor um anexo. Evidentemente, esses entendimentos são meramente subjetivos. mas nenhuma dessas pequenas coisas compromete a importância alcançada pelo seu conjunto.

O livro traz preciosas informações sobre a história da ovniologia em Portugal. Fala de Hugo Rocha, que publicou o primeiro livro luso sobre a matéria,“O Enigma dos Discos Voadores ou a Maior Interrogação do Nosso Tempo”, em 1951. Ele também publicou a obra “Outros Mundos, Outras Humanidades”. contextualiza a criação do Centro de Estudos Astronómicos e de Fenómenos Insólitos (CEAFI) e reconstrói a detalhada cronologia dos grupos de pesquisa portugueses e suas publicações que se sucederam no decorrer dos anos seguintes.

Eles dedicam uma parcela considerável de energia para desmistificar da chamada “Hipótese Extraterrestre” – interpretação comum, segundo a qual discos voadores e seus eventuais tripulante adviriam de um outro planeta qualquer, talvez fora do Sistema Solar. Oportunamente, dedicam-se à Exobiologia, analisando a Probabilidade de vida inteligente fora da Terra, a magnitude das distâncias envolvidas em viagens espaciais e outros elementos que dificultariam a vinda corriqueira de “visitantes cósmicos” (pp.35-41).

Em síntese, afirmam (p. 30):

Das manifestações “anómalas” (realmente não identificadas), que representam uma pequena parcela de toda a panóplia de observações, existe, contudo, um número significativo de relatos, que, pelas suas características e elevado índice de estranheza, se torna impossível explicar, à luz dos nossos padrões científicos. Contudo, a aparente analogia do fenómeno com uma origem extraterrestre, parece-nos francamente remota.

Corroboramos com esse ponto de vista,Nossa opinião converge com a apresentada em Debatendo Teses Infundadas na Ufologia. apesar dele acabar não sendo inteiramente abandonado pelo autores. Em resposta à lacuna explicativa, eles levantam como hipótese muito possível, “uma intervenção indireta de entidades alienígenas em nosso planeta”. Isso seria realizado, talvez, com o envio de sondas telecomandadas (p.46).

A especulação é válida, apesar de acreditarmos que, nesse caso, haveria pouca diferença na dificuldade de superar os obstáculos encontrados para a “Hipótese Extraterrestre” original.É importante deixarmos claro que o Ufologia Objetiva não tem uma explicação para o que sejam os discos voadores e seus eventuais tripulantes. Hoje, 15 de janeiro de 2012, pendemos para especulações relativas a uma origem interdimensional, mas ainda não temos os elementos necessários para compor uma hipótese.

As estatísticas, tão raras em estudos ufológicos consistentes, são um fator de interesse a parte. O livro traz um extrato dos 717 casos analisados pelo grupo, as quais reproduzimos abaixo.Já entramos em contato com a PUFOI (http://www.pufoi.com/) para obter as informações necessárias sobre cada uma dessas ocorrências.

Objectos Voadores Não Identificados

Número total de casos investigados (1910-2010) 717 100%
Casos negativos 230 32%
Casos duvidosos 359 50%
Casos com escassa informação 107 15%
Casos credíveis 21 3%
Observações nocturnas 580 81%
Observações diurnas 137 19%
Encontros aproximados dos graus 1 a 4A PUFOI usa a classificação original de Allen Hynek. Veja Contatos Imediatos. 179 25%

Formas mais Observadas:

Esférica 150 21%
Cilíndrica 78 11%
Discoidal 64 9%
Ovóide 61 8,5%
Disco voador 43 6%
Observações efectuadas por pilotos de aviões 11 1,50%
Observação de entidades antropomórficas 29 4%

Meses de maior incidência JAN – FEV – JUL – AGO – SET.

Vagas registadas (anos) 1975 – 1979 – 1980 – 1983 – 1993 – 2004.

A mais importante e credível 15 de Julho de 1979.Descrito como Caso n.º 619 – Objectos / Luzes em todo o país – OTA (p. 24). Já entramos em contato com a PUFOI para obtenção de detalhes.

Comedidamente, apesar do índice de credibilidade de 3% entre suas avaliações, os autores consideram que a percentagem de casos insuspeitos envolvendo OVNIs ronde 1% do total de registros (p. 24).

O livro ainda traz a análise de alguns casos (Roswell e Fátima), que demostram bem a metodologia e seriedade do grupo, apesar de não concordamos com todos os argumentos lá apresentados.

Como bônus, as partes VI e VIII são guias detalhados de como realizar atividades de pesquisa e identificar uma série de fenômenos e objetos que costumam ser confundidos com eventos ufológicos.

Os autores estão de parabéns. Fazemos votos para que seu método e dedicação sirvam de exemplo para outros estudiosos.

Também fazemos votos para que eles sejam tão bons em profecias quanto são em pesquisas, de modo que se concretize seu feliz diagnóstico:

O tempo dos “Discos-Voadores” já passou, assim como o tempo dos crentes e das notícias bombásticas, que faziam noticiários e programinhas televisivos desinformadores. Programinhas para aumentar vendas de periódicos ou audiências (p.26).

RECOMENDAÇÃO

Ler e guardar em lugar acessível, como fonte de informação e estudo.

FICHAMENTO

Data: 20110000.

TAGS: Análises, Livros, Ufologia.

Acesse Artigos Similares.

_____________________
Entenda melhor qual a relação desse assunto com a ufologia, ou por que ele nos interessa, conhecendo o significado das tags e outros parâmetros de fichamento em Estruturação de Dados.

Críticas, acréscimos ou sugestões, comente ou Entre em Contato.
Caso tenha interesse, saiba COMO CONTRIBUIR com nossas pesquisas.

Comente

COMENTÁRIO

ATENÇÃO: Comentários são públicos. Para manifestações privativas, utilize Nosso Formulário. Comentários desrespeitosos, infundados ou fora de contexto serão removidos.

*

© 2003, 2010-2015. Ufologia Objetiva. Direitos reservados.
Cópias sem fins lucrativos permitidas, desde que citada a fonte.