Organização e Método

A página não foi completamente carregada ou o navegador não suporta JavaScript. Textos Assim correspondem às notas.

Ufologia Objetiva entrou no ar como um site de opiniões essencialmente particulares, mas nossa estrutura foi concebida de maneira a permitir a interação organizada de muitas pessoas, no espírito de proporciornar um construção coletiva com aqueles que compartilham nossos princípios. Qualquer um pode contribuir com nossos artigos, através de comentários, e-mails e fórum, opções disponíveis para todos os usuários que se cadastram livremente.

Cada artigo possui um responsável que avalia o caso, determina suas lacunas, coordena os debate ao seu respeito e pondera sobre as contribições recebidas. Ele determina se a ocorrência constitui ou não uma evidência ufológica ou alienígena, tendo que defender sua opinião diante das críticas.

Essas pessoas devem ter boa formação científica, capacidade de julgamento ponderado e habilidade para gerenciar debates. Usuários que possuam essas competências, demonstrem interesse e compartilhem nossos ideais, podem se tornar nossos pesquisadores.Saiba mais em Como Contribuir.

Método

A maioria das pesquisas fortianas adota a estratégia de reunir o maior número possível de ocorrências anômalas, na esperança de sensibilizar a comunidade científica para a sua existência, rompendo a resistência típica do Conhecimento Estabelecido. A essência do método, adotado pelo próprio Charles Fort, é o empirismo em seu estado mais selvagem e primitivo: pegar os fatos que não se explicam e esfregar na cara de quem acredita ter as explicações para tudo.Saiba mais no interessante texto Ciência, Fortianos e Céticos de Steve Dewey. Ceticismo Aberto. Acesso em 02/06/2010.

Essa abordagem teria sucesso, se a regra na pesquisa científica fosse a isenção e o enfrentamento de problemas estruturais. Infelizmente, não é assim que o conhecimento se organiza: a soma das vaidades individuais e a dificuldade de reorganizar conceitos até então considerados estáveis faz com que a ciência evolua na forma de paradigmas que, devido a suas limitações naturais, elegem os fatos que preferem ignorar ou ridicularizar.

É necessário, então, não apenas elencar os acontecimentos, mas comprová-los como fatos e esgotar suas possibilidades de exlicação dentro do paradigma. A comunidade científica tentará de todas as maneiras descaracterizar esses casos como acontecimentos reais ou dar-lhes uma explicação trivial. Entretanto, uma vez provocada, ela será forçada ou a efetivar a pesquisa ou a questionar o paradigma.

Esse é o nosso caminho.

Determinar a imposibilidade de explicação de qualquer fato dentro do atual paradigma científico depende de uma formação adequada. Nosso conhecimento é avançando em várias áreas, reconhece parte de suas limitações e explica de forma consistente uma ampla gama de fenômenos.

Comprovar ocorrências como fatos depende de condições favoráveis de observação e de registros competentes. Faremos uma explanação sucinta sobre isso, apresentado em seguida critérios gerais para avaliação de artigos e recomendações para aqueles que desejam contribuir conosco.

Evidências

Negar acontecimentos é uma estratégia comum quando eles nos incomodam. É uma coisa simples de ser feita e nos exime do esforço de tentar explicá-los. Por isso, é preciso atenção, uma vez que cabe à ufologia o ônus da prova da ocorrência dos fatos. Comprovar que uma anomalia foi realmente um fato depende um pouco de sorte, pois a situação concreta tem que permitir que se recolha os elementos necessários. Também é preciso registrar os acontecimentos com certa perícia, de modo que se reduzam as margens para contestação.

Testemunhos: testemunhas são nossas evidências mais importantes e, ao mesmo tempo, as mais frágeis. Elas  sempre estão sujeitas a alegação legítima de que podem estar enganas ou mentindo. Assim, testemunhos sozinhos têm pouco valor, exceto é claro para as próprias testemunhas e para aqueles que acreditam nelas. Grande parte dos pesquisadores de fenômenos insólitos mais dedicados é motivada por uma experiência própria ou de alguém próximo de sua confiança.

Em conjunto com outras evidências, contudo, os testemunhos são inestimáveis. Técnicas inadequadas de entrevista, onde se evidencie sua indução pelo entrevistador, podem fragilizar ou até invalidar uma ocorrência. Como regras gerais para evidar isso, sugerimos aos pesquisadores de campo que adotem perguntas abertas e registros integrais em seus trabalhos.

Perguntas abertas são aquelas que liberam as testemunhas para usar suas próprias palavras e montar a ordem do seu depoimento (O que você viu? Pode dar mais detalhes sobre esse ponto? Lembra das cores?). Perguntas fechadas ou que trazem idéia embutidas devem ser evitadas (Você viu um disco voador? Os alienígenas tinham a altura do seu joelho? A nave era púrpura?).

O registro ideal deve ser feito por meio de vídeo ou áudio, sem cortes. A transcrissão deve trazer indicadas nuances relevantes, como aparente nervosismo e alterações no tom de voz.  As testemunhas devem ser sempre identificadas. Caso solicitem anonimato, isso deve ser respeitado, mesmo comprometendo em algum grau a credibilidade do relato. Sempre devem ser guardadas informações que possibilitem contatar uma testemunha, tenha ela sido identificada ou mantida anônima no relatório.

Vestígios físicos: o tratamento dos vestígios físicos depende de sua natureza. De modo geral, idealmente, devem ser fotografados ou filmados em alta resolução, por vários ângulos, com algum outro objeto próximo, para dar noção de escala (caneta,  carro, mão, etc).  Sempre que possível, devem ser recolhidos para análise. Detalhes como mudanças na coloração, temperatura ou peso devem ser cuidadosa e cronologicamente registrados. Na manipulação desses vestígios, sempre devem ser envolvido o maior número possível de testemunhas isentas e competentes.

Manifestações oficiais: avaliações emitidas por instituições ou pessoas respaldadas de forma legítima pela sociedade, como universidades, forças armadas, governo, laboratórios, peritos e mídia,  são elementos importantíssimos, independentemente do seu posicionamento. Citá-los, contudo,  é insuficiente. Pareceres, reportagens, laudos e relatórios devem ter cópias providenciadas, com identificação de autoria, publicação, data e local de arquivamento. Declações devem ter tratamento semelhante sendo, sempre, registradas com detalhes.

Avaliações

Após a comprovação de que um fato é real, a energia de pesquisa se concentra na buscar de possibilidades consistentes para explicá-lo. Identificar se o atual paradigma pode explicar um acontecimento depende do conhecimento adequado. Se a identificação não for possível, caracteriza-se sua natureza anômala.

Cada um dos nossos artigos possui um fichamento que resume e tabula informações.Veja Estruturação de Dados. A relevância é o atributo mais importante, que caracteriza, numa escala de zero a três, qual o valor de uma pesquisa ou artigo para o estudo ufológico. De maneira simplificada, uma relevância três denota que um caso constitui uma evidência concreta, enquanto uma relevância zero aponta para uma fraude ou acontecimento trivial.

A relevância é determianda pelo pesquisador responsável pelo atigo, mas adotamos orientações que limitam a relevância máxima, coforme a natureza das evidências.

Testemunhos: testemunhos só são efetivamente válidos quando apresentam consistência, coerência e convicção, considerando-se o estado emocional, condições de observação e nível cultural das testemunhas. A reprovação nesses requisitos invalida automaticamente a ocorrência como evidência.

Testemunhos realizados por pessoas com ética reconhecidamente questionável, que podem obter vantagem pecuniária ou promover-se socialmente através do relato, sempre comprometem a credibilidade da ocorrência, que raramente poderá assumir mais que relevância 1.

Ocorrências com testemunhos válidos, mas sem outras evidências cooroborativas, nunca ultrapassam relevância 2.

Ocorrências com testemunhos válidos, coroborados por outras evidências ou com um número grande de testemunhas, podem chegar à relevância 3.

Ocorrências com testemunhos válidos envolvendo pessoas que possuam reputação confiável, conhecimento científico reconhecido ou podem sofrer prejuízos morais e materiais consideráveis em decorrência do seu depoimento também podem chegar à relevância 3.

Fotos e vídeos:  dizem que uma imagem vale por mil palavras, mas na ufologia isso não acontece. A facilidade proporcionada pelos modernos processadores de imagem permitem fabricar uma boa evidência em pouco minutos. Ocorrências modernas registradas exclusivamente por fotos e vídeos nunca ultrapassam relevância 1.

Ocorrências registradas por fotos e vídeos antigos, antes da revolução digital, submetidos aos estudos e perícias adequados, podem assumir relevância 2.

Se as fotos e vídeos forem corroboradas por outras evidências, como testemunhos e declarações oficiais, a ocorrência pode chegar à relevância 3.

Vestígios físicos: vestígios físicos sozinhos, submetidos aos estudos e perícias adequados, podem assumir relevância 2.  Se forem corroboradas por outras evidências, como testemunhos e declarações oficiais, as ocorrências pode chegar à relevância 3.

Saiba mais detalhes em Avaliação de Casos.

Orientações aos usuários

O registro de usuários é necessário para interagir no site. Ele é gratuíto e pode ser feito através da opção adequada no menu localizado no topo das nossas páginas. Para os que quiserem associar uma imagem personalizada ao seu perfil (avatar), basta vinculá-la no Globally Recognized Avatar ao e-mail utilizado no cadastro.

A forma mais eficaz de contribuir conosco é ADOTANDO um caso. Selecione um artigo que  tenha despertado seu interesse e o estude com profundidade. Busque novos dados, confirme as fontes, analise testemunhos, evidências, hipóteses e discuta conosco suas conclusões. Confira as informações constantes no fichamento do caso, e analise a competência do pesquisador responsável.

O estudo sincero e profundo trará as perguntas e apontará as respostas que procuramos. Um caso levará a outro e, em pouco tempo, você estará contribuindo com um cojunto importante das peças do quebra-cabeças. Usuários que demonstrem aptidão e interesse podem ser convidados a se responsabilizar por um caso como pesquisadores.

Há qualquer momento, contate a administração para tratar dificuldades que não puderam ser resolvidas com os pesquisadores responsáveis por casos específicos, para enviar propostas de novos artigos, para discutir melhorias em nossa estrutura ou sugerir a criação de novas categorias.

Orientações aos pesquisadores

A avaliação detalhada de casos é trabalhosa e requer uma certa dose de talento. O primeiro ponto essencial é comprovar que os fatos e evidências pertinentes são reais. Para isso, é necessário recorrer aos testemunhos, vestígios físicos e manifestações oficiais, como já discutimos. Grande parte das avaliações acaba aqui. Ocorrências que não podem ser indubitavelmente comprovadas como fatos perdem seu valor como evidência.

Ainda que se possa avançar na análise, demostrando a sua impossibilidade de explicação dentro do paradigma,  é certo que o caso não somará valor ao conjunto. A excessão são aquelas ocorrências que, apesar de não serem isoladamente comprováveis, devido a sua grande semelhança com outras já comprovadas, tornam-se mais críveis. Apesar de úteis para os estudos, esses casos jamais serão inquestionáveis, não podendo possui mais que relevância 2.

Descartar as explicações propostas pelo paradigma requer conhecimento e estudo. Portanto, aprofunde-se sobre os fenômenos e teorias científicas pertientes, não desconsidere a dimensão psicológica das testemunhas e nunca perca o foco dos fatos. Lembre-se sempre que a obrigação da ufologia na casuística é comprovar a realidade do ocorrido. Mostrar suas possíveis causas naturais é ônus do Conhecimento Estabelecido.

É importante ser ponderado nas avaliações. Muitas coisas aparentemente estranhas têm explicação natural. Descobrir que uma ocorrência é falsa  ajuda tanto quando descobrir que ela é verdadeira. O pesquisador também deve ser cuidadoso ao preencher o fichamento do caso, pois esses dados serão usuados em nossas estatísticas e fornecerão novos instrumentos para análise.

Dizem que uma imagem vale por mil palavras. Na ufologia isso não acontece. A imensa quantidade de fotos e vídeos, aprovados em todos os critérios de autenticidade, parece não surtir qualquer efeito quanto a validade do fenômeno. Entre as causas disso, podemos citar o descaso, tanto dos órgãos oficiais quanto da mídia, no que tange uma investigação mais profunda dos casos e a presença do fator Oz, sem dúvida (saiba o sentido como o termo “fator Oz” está sendo empregado na seção “Haverão OVNIs?” da página principal).

FICHAMENTO

Data: 20100715.

TAGS: Ufologia.

Acesse Artigos Similares.

_____________________
Entenda melhor qual a relação desse assunto com a ufologia, ou por que ele nos interessa, conhecendo o significado das tags e outros parâmetros de fichamento em Estruturação de Dados.

Críticas, acréscimos ou sugestões, comente ou Entre em Contato.
Caso tenha interesse, saiba COMO CONTRIBUIR com nossas pesquisas.

Comente

COMENTÁRIO

ATENÇÃO: Comentários são públicos. Para manifestações privativas, utilize Nosso Formulário. Comentários desrespeitosos, infundados ou fora de contexto serão removidos.

*

© 2003, 2010-2015. Ufologia Objetiva. Direitos reservados.
Cópias sem fins lucrativos permitidas, desde que citada a fonte.