O caso do OVNI gigante do Alaska

A página não foi completamente carregada ou o navegador não suporta JavaScript. Textos Assim correspondem às notas.

1986: O caso do OVNI gigante do Alaska1986: O caso do OVNI gigante do Alaska. OVNI Hoje, em 00 de março de 2012.

Em novembro de 1986, a tripulação de um vôo cargueiro japonês da JAL, que viajava sobre o estado do Alaska, nos EUA, declarou ter visto 3 objetos voadores não identificados, um gigantesco e dois menores.

O caso chamou a atenção da mídia internacional, quando a Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA) anunciou que iria investigá-lo oficialmente, porque o Centro de Controle de Tráfego Aéreo da cidade de Anchorage, no Alaska, havia informado que os OVNIs foram detectados em seu radar.

Após o incidente, o Capitão Terauchi, do Boing 747, apareceu em vários programas de rádio e televisão para relatar seu avistamento, porém, após alguns meses ele infelizmente foi despedido de seu cargo como capitão, apesar de sua grande experiência.  Por sorte, vários anos mais tarde lhe permitiram retornar a seu cargo.

Os OVNIs deste caso foram rastreados por radares de solo e no céu, e o evento foi testemunhado por pilotos experientes, como também confirmado pelo chefe de divisão da FAA.

comparativo: OVNI, boeing 747 e porta-aviões

Segundo as declarações do capitão Kenju Terauchi, do primeiro oficial Takanori Tamefui e do engenheiro de vôo Yoshio Tsukuda, duas pequenas luzes e um enorme objeto luminoso se mostraram na tela de seu radar por mais de meia hora.  O capitão Terauchi, um veterano com 29 anos de experiência de vôo disse: “[o objeto maior] era umas duas vezes maior do que um porta-aviões“.

Na ocasião, o capitão pediu permissão ao FAA para mudar de altitude, a fim de poder identificar corretamente os objetos voadores que o estavam seguindo.  Ele disse que os objetos se moviam rapidamente e pararam repentinamente.  Uma vez que pararam, uma luz ainda mais forte acendeu no objeto maior, a qual tinha tanta intensidade que o capitão disse que podia sentir o calor em seu rosto.

O capitão ainda disse que ficou olhando para os OVNIs por uns 6 minutos antes de notificar as outras pessoas, assim colocando o início do avistamento às 18h13min daquele dia.

A princípio o FAA confirmou que vários de seus controladores de tráfego rastrearam o 747 e os objetos, como haviam também feito os radares da Força Aérea dos EUA.  Mais tarde, tentaram acobertar este episódio, dizendo que o avistamento fora causado por condições atmosféricas anômalas.  No final, um porta voz do FAA disse: “aceitamos as descrições da tripulação, mas eles são incapazes de confirmar o que viram“.

FICHAMENTO

Data: 19861100 | Latitude: 61.218056 | Longitude: -149.900278 | Relevância: 2 | Estranheza/Probabilidade: 23 | Classificação Vallée: Tipo-IIIb | Classificação Hynek: RV | Classificação Vallée-Hynek: CE-2 | Classificação CBPDV: CI-2 | Testemunhas: 11-25 | Objetos: 3 | Forma: Disco, Luzes | Tamanho: Grande, Imenso | Brilho: Forte | Hora: 16h-20h | Duração: Desconhecido | Término: Desconhecido | Clima: Desconhecido.

TAGS: Ocorrências, Ufologia.

Acesse Artigos Similares.

_____________________
ESSA OCORRÊNCIA AINDA NÃO FOI ANALISADA COM PROFUNDIDADE. SUAS AVALIAÇÕES SÃO APENAS PRELIMINARES. CONTRIBUA COM A SUA OPINIÃO.

_____________________
Entenda melhor qual a relação desse assunto com a ufologia, ou por que ele nos interessa, conhecendo o significado das tags e outros parâmetros de fichamento em Estruturação de Dados.

Críticas, acréscimos ou sugestões, comente ou Entre em Contato.
Caso tenha interesse, saiba COMO CONTRIBUIR com nossas pesquisas.

Comente

COMENTÁRIO

ATENÇÃO: Comentários são públicos. Para manifestações privativas, utilize Nosso Formulário. Comentários desrespeitosos, infundados ou fora de contexto serão removidos.

*

© 2003, 2010-2015. Ufologia Objetiva. Direitos reservados.
Cópias sem fins lucrativos permitidas, desde que citada a fonte.