Menina branca de pais negros desafia o paradigma

A página não foi completamente carregada ou o navegador não suporta JavaScript. Textos Assim correspondem às notas.

Cientistas não conseguem explicar o nascimento de um bebê branco de pais negrosCientistas não conseguem explicar o nascimento de um bebê branco de pais negros. O Globo, 20 de julho de 2010.

A imagem correu o mundo e intrigou muita gente. É possível que um casal de negros tenha um filho branco? Para os especialistas em genética, a resposta é sim, mas tudo depende de uma série de fatores.

No caso da pequena Nmachi, que nasceu com cabelos louros e olhos azuis, a explicação está especialmente confusa.

Os pais afirmam não ter ascendentes brancos, os médicos que cuidam da criança afirmam que ela não é albina, e exames de DNA provaram que a mãe não teve um caso extraconjugal.

Em entrevista ao jornal britânico ‘Daily Mail’, o professor de genética Bryan Sykes, da Universidade de Oxford, afirmou que o caso é “extraordinário”.

Ele explicou que quando há a mistura de raças (mãe branca e pai negro, por exemplo), não é raro ver este tipo de caso. Isto pode acontecer também se a criança tiver avós ou até bisavós de raças diferentes.

Mesmo que os pais neguem, Sykes afirma que, para a criança nascer de pele clara, ambos os pais necessariamente precisariam ter um ancestral branco.

- As regras da genética são complexas e até hoje não entendemos o que acontece em muitos casos – afirma o médico.

Sykes explica que este tipo de surpresa é mais comum em populações onde há muita mistura de raças, como nas populações latinas ou afro-caribenhas.

Apesar do título trazer uma idéia sugestiva, que o texto acaba frustando ao demonstrando que não há explicações imediatas, uma segunda notícia mostra mais detalhes sobre o caso.Casal negro tem filha loira de olhos azuis. Genética e mutação podem explicar. IG. Acesso em 28/08/2010.

Casal negro tem filha loira de olhos azuis. Genética e mutação podem explicar.

Um casal britânico tomou as páginas de jornais do mundo inteiro após o nascimento da sua mais recente filha. Tudo porque o bebê nasceu loiro e a família inteira é negra. O mais curioso é que, segundo os especialistas, a menina não é albina.

Segundo o The Sun, Ben, o pai de 44 anos, disse que ficou muito chocado quando a pequena Nmachi nasceu e lembra que brincou: “Ela é minha?”

Loira e com olhos azuis, Nmachi, cujo nome significa “Beleza de Deus”, em nigeriano, acabou confundindo os especialista em genética, porque Ben e sua esposa Angela não possuem família mestiça.

Os médicos do Queen Mary´s Hospital, nas proximidades de Woolwich, disseram que a criança definitivamente não é albina. Ela carrega alguns traços característicos dos pais e irmãos, mas possui tonalidade de pele diferente.

“Nos seres humanos pardos, pode ocorrer leve variação no tom de pele, podendo sair em uma das criança – e pode ser, por vezes, surpreendentemente diferente da pele dos pais”, disse o professor Bryan Sykes, diretor de Genética Humana da Universidade de Oxford.

“Este poderia ser um caso numa grande quantidade de misturas genéticas, como em populações afro-caribenhas. Mas na Nigéria, há pouca mistura”, disse o professor.

O perito disse que alguma mutação desconhecida foi a provável responsável pelo acontecimento. “As regras da genética são complexas e ainda não entendemos o que acontece em muitos casos.”

Apesar de confuso, Ben disse que eles estão encarando bem a situação: “Claro, estamos perplexos e também quero saber o que aconteceu. Mas nós entendemos que a vida é muito estranha. Tudo o que importa é que ela é saudável e nós a amamos muito. Ela é o orgulho britânico da Nigéria”, concluiu ele.

HEREDITARIEDADE

O conhecimento atual da genética é relativamente estável e bem estruturado, prevendo grande parte das observações empíricas. O que sabemos formalmente sobre hereditariedade é bem resumido no artigo a seguir, relativo  à pele humana, do biólogo Krukemberghe Fonseca.A cor da pele na espécie humana. Brasil Escola. Acesso em 28/08/2010.

A cor da pele na espécie humana

A cor da pele humana é determinada por uma herança quantitativa genética, caracterizada por dois pares de genes alelos localizados em cromossomos não homólogos, ou seja, um par aleatoriamente indicado por Aa e outro Bb.

Proporcionalmente, os genes dominantes A e B codificam maior produção de melanina na pele em oposição aos respectivos alelos recessivos a e b. A interação entre os quatro tipos proporciona efeitos variados, recebendo os dominantes à denominação de genes efetivos ou aditivos, enquanto os recessivos contribuem apenas para formar uma quantidade mínima de pigmentos melanínicos.

- Quanto maior a proporção de genes dominantes e menor de recessivos na pele, maior a quantidade de pigmentação, sendo a epiderme mais escura;

- Quanto menor a proporção de genes dominantes e maior de recessivos na pele, menor a quantidade de pigmentos, e a epiderme mais clara.

GenótiposFenótipos(cor da pele)AA BBNegroAA Bb ou Aa BBMulato escuroAA bb, aa BB ou Aa BbMulato médioAa bb ou aa BbMulato claroaa bbBrancoExemplificação de dois cruzamentos: o primeiro entre indivíduos homozigóticos, um dominante e o outro recessivo (geração P), e o segundo entre indivíduos heterozigóticos (geração F1).

1° cruzamento

Geração P→   AABB (negro)   x   aabb (branco)

Descendentes→ 100% AaBb (mulato médio)

2° cruzamentoGeração F1→   AaBb   x   AaBb

Gametas

AB

Ab

aB

ab

AB

AABB

AABb

AaBB

AaBb

Ab

AABb

AAbb

AaBb

Aabb

aB

AaBB

AaBb

aaBB

aaBb

ab

AaBb

Aabb

aaBb

aabb

Proporção fenotípica para os descendentes da geração F1:

1 (negro) / 4 (mulato escuro) 6 (mulato médio) / 4 (mulato claro ) / 1 (branco)

Observação: O albinismo, ausência total de melanina, é provocado pela ação de um outro gene, independente dos mencionados.

A hereditariedade da cor dos olhos segue dinâmica semelhante, apensar de haver um pouco mais de complexidade, sendo o azul uma cobinação de genes recessivos.Genética da cor dos olhos. Scrib. Acesso em 28/08/2010.

AVALIAÇÃO

O albinismo é uma alteração genética que impede a produção de melanina pelo corpo, sendo bem conhecida e encotrada em várias espécies vivas.Albinismo. Wikipédia. Acesso em 28/08/2010. O fato da criança não ser albina, implica que ela tem produção normal de melanina, sendo os olhos e pele claros advindos de outro motivo.

Como visto, pelo que sabemos, a cor da pele seria determinada por uma combinação de genes capazes de gerar um conjunto de resultados. A pele negra seria resultado da predominância dos genes que estimulam a pigmentação da pele (AABB). A pele branca, dos genes que não estimulam essa pigmentação (aabb). Uma criança que possui pais com genes que estimulam a pigmentação deveria herdá-los.

É importante notar que os genes que não estimulam a pigmentação na pele não são recessivos.Gene Recessivo. Wikipédia. Acesso em 28/08/2010. Eles não ficam escondidos em pessoas heterozigóticas, podendo assim saltar gerações. Ao contrário, eles agem atenuando o efeito dos genes que estimulam a pigmentação, clareando a pele. Não deveria ser fácil esconder essa herança em todos os indivíduos de uma ou duas famílias.

O que surpreende os cientistas é que uma criança branca deve necessariamente receber parte dos genes que não estimulam a pigmentação de um dos pais e parte do outro. A cor branca da pele não deveria ser possível sem mestiços mulatos em ambos os lados da família. Bastaria que um dos pais fosse de linhagem puramente negra, como é regra na Nigéria, para que a criaça tivesse alguma pigmentação na pele.

O mesmo ocorre para olhos e também, possivelmente, para o cabelo louro. Se os dados sobre a família estiverem coretos, isso implica que há alguma lacuna em nosso conhecimento de genética, numa parte que considerávamos dominar bem. Como disse o perito Bryan Sykes, no primeiro artogo, as regras da genética são complexas e ainda não entendemos o que acontece em muitos casos. Essa ocorrência específica pode trazer consequências.

A ciência atual acredita que o Homo sapiens surgiu na África, com pele escura, olhos escuros e cabelo crespo.Homo sapiens. Wikipédia. Acesso em 28/08/2010. A cor escura permitiria maior proteção contra a exposição solar. Ela também perde calor com mais velocidade e, cobinada com o cabelo crespo, capaz de reter camadas de ar, auxiliaria no resfriamento do corpo, especialmente a cabeça.

Com a migração forçada para o norte, por algum motivo que ainda esta sendo estudado, teria surgido gradualmente a pele clara, os olhos claros e o cabelo escorrido, todas adaptações para absolver melhor a vitamina D, em zonas com menos exposição solar durante o ano, e reter calor no corpo.Sobre o assunto, inicie com: É só uma questão de pele, por Sheila Lobato. Revista Planeta. Terra. Acesso em 28/08/2010. Há outras fontes em revistas especializadas.

A evidência de que uma única mutação pontual seria capaz de criar a pele branca e os olhos azuis pode mudar muito de parte disso que hoje acreditamos ser a história do surgimento dos fenótipos humanos.

Veja também Casal negro dá à luz menino loiro no Reino Unido.

FICHAMENTO

Data: 20100720.

TAGS: Análises, Desafios, Genética.

Acesse Artigos Similares.

_____________________
Entenda melhor qual a relação desse assunto com a ufologia, ou por que ele nos interessa, conhecendo o significado das tags e outros parâmetros de fichamento em Estruturação de Dados.

Críticas, acréscimos ou sugestões, comente ou Entre em Contato.
Caso tenha interesse, saiba COMO CONTRIBUIR com nossas pesquisas.

Comente

COMENTÁRIO

ATENÇÃO: Comentários são públicos. Para manifestações privativas, utilize Nosso Formulário. Comentários fora de contexto serão removidos.

*

© 2003, 2010-2013. Ufologia Objetiva. Direitos reservados.
Cópias sem fins lucrativos permitidas, desde que citada a fonte.