Lagarto sem olhos ou patas é descoberto em Camboja

A página não foi completamente carregada ou o navegador não suporta JavaScript. Textos Assim correspondem às notas.

Lagarto sem olhos e sem patas é descoberto no CambojaLagarto sem olhos e sem patas é descoberto no Camboja. G1, em 10 de maio de 2011.

Cientistas anunciaram a descoberta de uma nova espécie de lagarto, sem olhos e sem patas, no Camboja, país do sudeste da Ásia. Neang Thy, zoólogo do Ministério do Meio Ambiente cambojano, e a organização de defesa do meio ambiente Fauna & Flora International (FFI) encontraram a criatura, parecida com um verme ou uma cobra, na região das Montanhas Cardamomo.

O zoólogo notou a presença do lagarto quando revirou um pedaço de madeira no chão da mata e conseguiu capturar a criatura.

“Primeiro pensei que era uma espécie comum”, disse o zoólogo, que estuda répteis e anfíbios há quase dez anos no Camboja. Mas o cientista logo percebeu que se tratava de uma nova espécie. O réptil evoluiu para viver embaixo da terra, perdendo as patas para conseguir passar pelo solo ao retorcer o corpo.

Thy e seus colegas confirmaram que esta é uma nova espécie e publicaram a conclusão na revista especializada “Zootaxa”. O novo lagarto foi chamado de lagarto cego da Montanha Dalai (Dibamus dalaiensis), devido à montanha onde foi encontrado.

Um ano

Jenny Daltry, bióloga da FFI, disse que foi necessário quase um ano para ter certeza de que se tratava realmente de uma nova espécie. “Eles tiveram que analisar todas as descrições científicas de todas as outras espécies… e analisar as espécies em museus”, disse Daltry à BBC.

“O que é realmente animador sobre isto é que esta foi a primeira vez que um cidadão cambojano descobriu uma nova espécie, juntou todas as provas científicas e publicou a descoberta.”

Daltry afirma ainda que existem vários outros lagartos sem patas na natureza, como uma espécie da Grã-Bretanha.

Diferentemente das cobras, os lagartos sem patas não a língua bifurcada. Além disso, “a maioria das cobras tem apenas um pulmão, e os lagartos tem dois”, disse a cientista. “E também, a maioria dos lagartos conseguem piscar, algo que as cobras não conseguem. Mas, este novo lagarto não tem olhos.”

OBSERVAÇÕES

A região é pródiga em espécies desconhecidas. Foram feitas Várias Descobertas Recentes. Saiba um pouco mais sobre mais uma possível criatura insólita na região em nosso artigo Dinossauro em Camboja.

FICHAMENTO

Data: 20110510 | Latitude: 12.000000 | Longitude: 103.250000 | Características: .

TAGS: Criptozoologia, Descoberta.

Acesse Artigos Similares.

_____________________
Entenda melhor qual a relação desse assunto com a ufologia, ou por que ele nos interessa, conhecendo o significado das tags e outros parâmetros de fichamento em Estruturação de Dados.

Críticas, acréscimos ou sugestões, comente ou Entre em Contato.
Caso tenha interesse, saiba COMO CONTRIBUIR com nossas pesquisas.


Comentários [2, RSS]
  • Fernando Ramos

    Parece-se mais com uma cobra ou com uma minhoca gigate do que com um lagarto…

    Não consigo ver quisquer traços de lagarto…

  • Lagartos ápodes são realmente estranhos, mas menos incomuns do que se imagina. Há deles em praticamente todos os continentes, como o Anguis fragilis na Europa, o Coeranoscincus frontalis na Austrália, pelo menos um do gênero Sepsophis na Índia (descoberto em 2007) e o Bachia genus no Brasil (esse descoberto em 2008).

    A ausência de olhos ocorre em outros vertebrados, como no anfíbio Proteus anguinus. É a primeira vez, entretanto, que tenho conhecimento da ausência simultânea de olhos e patas num réptil. A estranheza na ausência de olhos é ainda maior por não se tratar de uma espécie cavernícola. Um caso interessante de “reversão” evolutiva, com a licença do termo controverso.

    Sem dúvida, há mais surpresas para descobrir.

  • Comente

    COMENTÁRIO

    ATENÇÃO: Comentários são públicos. Para manifestações privativas, utilize Nosso Formulário. Comentários desrespeitosos, infundados ou fora de contexto serão removidos.

    *

    © 2003, 2010-2015. Ufologia Objetiva. Direitos reservados.
    Cópias sem fins lucrativos permitidas, desde que citada a fonte.