Chuva de rãs na Hungria

A página não foi completamente carregada ou o navegador não suporta JavaScript. Textos Assim correspondem às notas.

Chuva de rãs surpreende cidade húngaraChuva de rãs surpreende cidade húngara. R7. Acesso em 21/06/2010.

Episódio natural aconteceu em Rákóczifalva, a cem quilômetros da capital Budapeste

Uma chuva de rãs pegou de surpresa nesta segunda-feira (21) os moradores da cidade húngara de Rákóczifalva, cem quilômetros a leste de Budapeste, informou a imprensa local.

“Quando vi que meu guarda-chuva estava cheio de rãs me assustei muito”, disse um morador da aldeia, citado pelo site Index.hu, enquanto outros relataram que tinham visto “muitíssimos” desses animais.

“Não gosto dessas criaturas e corri em busca de proteção em uma estação de ônibus. Nunca vi algo semelhante”, assegurou outra testemunha do fenômeno.

Segundo especialistas, quando são formadas nuvens cumulonimbus, que provocam tempestades, e os ares quentes sobem, pequenas plantas ou animais, como rãs, aranhas ou peixes, podem ser levados para as nuvens, e posteriormente são “descarregados” em forma de chuva.

Rákóczifalva é uma cidade que se encontra a 100 quilômetros de Budapeste. Os habitantes do lugar afirmam nunca terem visto algo semelhante e haviam muitos animais, em toda parte, que corriam em diversas direções. Consta que nos últimos dias também foram registrados fortes temporais.Lluvia de ranas en Rákóczifalva, Hungría. Info-Natura. Acesso em 26/07/2010.

HIPÓTESES

Conforme a notícia, especialistas afirmaram que na formação de nuvens de tempestade o ar quente subiria, levando pequenas plantas e animais, que depois cairiam no solo. Desconheço qualquer modelo teórico que sustente essa hipótese. A princípio, ela parece-me forçada. Quando não consegue explicar algum evento dentro do paradigma, o Conhecimento Estabelecido constuma ser bem tolerante, se contentando com explicações superficiais ou absurdas.

É evidente que a idéia se trata de uma adaptação da hipótese do tornado, onde um vórtice de vento erguiria para o céu as crituras que cairiam no chão, para lugares onde essas formações atmósfericas não são comuns. Um dos problemas com essa nova hipótese é que tempestades ocorrem há muito tempo, em todos os lugares, e não me recordo de registros de pequenas plantas e animais subindo em massa para o céu durante a formação das nuvens.

Ainda que essa teoria venha a mostrar algum fundamento, é necessário explicar o volume de animais, de onde vieram e por que os ares quentes não arracaram insetos ou outros pequenos bichos do pântano natal dos anfíbios.

AVALIAÇÃO

São necessárias mais mais infrmações. Vídeos seriam interessantes. É preciso identificara a que espécie pertencem os sapos e levantar mais detalhes sobre os tais especialistas da hipótese do ar quente e sua teoria. Até lá, a ocorrência fica com Relevância 2. As latitude e a longitude consideradas correspondem à cidade de Rákóczifalva.

FICHAMENTO

Data: 20100621 | Latitude: 47.088063 | Longitude: 20.225010 | Relevância: 2 | Estranheza/Probabilidade: 23 | Clima: Chuvoso | Características: .

TAGS: Ocorrências.

Acesse Artigos Similares.

_____________________
ESSA OCORRÊNCIA AINDA NÃO FOI ANALISADA COM PROFUNDIDADE. SUAS AVALIAÇÕES SÃO APENAS PRELIMINARES. CONTRIBUA COM A SUA OPINIÃO.

_____________________
Entenda melhor qual a relação desse assunto com a ufologia, ou por que ele nos interessa, conhecendo o significado das tags e outros parâmetros de fichamento em Estruturação de Dados.

Críticas, acréscimos ou sugestões, comente ou Entre em Contato.
Caso tenha interesse, saiba COMO CONTRIBUIR com nossas pesquisas.

Comente

COMENTÁRIO

ATENÇÃO: Comentários são públicos. Para manifestações privativas, utilize Nosso Formulário. Comentários desrespeitosos, infundados ou fora de contexto serão removidos.

*

© 2003, 2010-2015. Ufologia Objetiva. Direitos reservados.
Cópias sem fins lucrativos permitidas, desde que citada a fonte.