Chuva de peixes na Austrália

A página não foi completamente carregada ou o navegador não suporta JavaScript. Textos Assim correspondem às notas.

Chuva de peixes na AustráliaChuva de peixes na Austrália. Arquivos do Insólito, em 27 de fevereiro de 2010.

Enquanto chuvas torrenciais castigam o extremo norte e a Austrália Central, uma cidade do Território do Norte teve uma chuva de peixes.

O fenômeno anormal aconteceu não uma, mas duas vezes, na quinta e sexta-feira à tarde, aproximadamente as 18 hs em Lajamanu, a 550 quilômetros a sudoeste de Katherine.

Christine Balmer, que tirou as fotos dos peixes no chão e em um balde, teve que se beliscar quando “centenas e centenas” de pequenos peixes brancos caíram do céu.

“Choveu peixe em Lajamanu na quinta e na sexta à noite”. “Eles caíram do céu por toda parte”. “Os moradores recolhiam do chão, em todos os lugares.”

“Estes peixes estavam vivos quando bateram no chão”, disse Balmer, coordenadora de assistência aos idosos no Lajamanu Aged Care Centre. “Minha família achou que eu tinha perdido o juízo, quando disse a eles sobre o que aconteceu”.

“Eu não perdi o juízo”, disse ela, reafirmando. “Obrigado Deus por não ter chovido crocodilos”. Lajamanu está na extremidade do deserto de Tanami, a centenas de quilômetros do Lago Argyle e Lago Elliott e ainda mais longe da costa.

Mas não é a primeira vez que a remota comunidade é bombardeada por peixes. Em 2004, os moradores relataram que peixes caíram do céu, e em 1974, um incidente semelhante ocupou as manchetes internacionais.

Acredita-se que os pequenos peixes brancos são percas brilhantes, muito comuns em boa parte do norte da Austrália.

O meteorologista Ashley Patterson disse que as condições geológicas eram perfeitas na sexta-feira para um tornado na região de Douglas Daly.

Ele também disse que havia uma condição meteorológica ideal para permitir que o fenômeno ocorre-se – mas tornados não foram relatados às autoridades.

“É um evento muito incomum”, disse.” Uma corrente ascendente de ar, poderia erguer (peixes e água) – até 18.000 ou 21.000 metros. “Ou, possivelmente um tornado sobre um corpo de água grande – mas nós não tivemos nenhum relatório “.

Tradução: Carlos de Castro

OBSERVAÇÕES

Casos curiosos e clássicos na casuística das precipitações fortianas. A explicação do tornado encontra os problemas de apenas peixes caírem, vivos e de uma espécie específica, sem outros tipos de animais ou detritos. A idéia de  “uma corrente ascendente de ar” enfrenta os mesmos problemas, e ainda me pergunto como ela poderia erguer peixes e detritos até 18.000 ou 21.000 metros sem isso nunca ter sido testemunhado. Caso alguém conheça algum testemunho factível disso, peço que nos contate.

O fato de haver várias ocorrências na mesma região também é típico e desafiador para as explicações triviais.

FICHAMENTO

Data: 20100225 | Latitude: -18.334399 | Longitude: 130.633413 | Relevância: 2 | Estranheza/Probabilidade: 23 | Clima: Limpo | Características: .

TAGS: Ocorrências, Sínteses.

Acesse Artigos Similares.

_____________________
ESSA OCORRÊNCIA AINDA NÃO FOI ANALISADA COM PROFUNDIDADE. SUAS AVALIAÇÕES SÃO APENAS PRELIMINARES. CONTRIBUA COM A SUA OPINIÃO.

_____________________
Entenda melhor qual a relação desse assunto com a ufologia, ou por que ele nos interessa, conhecendo o significado das tags e outros parâmetros de fichamento em Estruturação de Dados.

Críticas, acréscimos ou sugestões, comente ou Entre em Contato.
Caso tenha interesse, saiba COMO CONTRIBUIR com nossas pesquisas.

Comente

COMENTÁRIO

ATENÇÃO: Comentários são públicos. Para manifestações privativas, utilize Nosso Formulário. Comentários desrespeitosos, infundados ou fora de contexto serão removidos.

*

© 2003, 2010-2015. Ufologia Objetiva. Direitos reservados.
Cópias sem fins lucrativos permitidas, desde que citada a fonte.