Astrofísico sugere que raios-bola podem explicar OVNIs

A página não foi completamente carregada ou o navegador não suporta JavaScript. Textos Assim correspondem às notas.

Astrofísico sugere que ‘raios em bola’ podem ser explicação para óvnisAstrofísico sugere que ‘raios em bola’ podem ser explicação para óvnis. G1, em 1 de dezembro de 2010.

Stephen Hughes baseia sua teoria em fenômenos meteorológicos ocorridos na Austrália.

A visão de alguns objetos voadores não identificados pode ser explicada por fenômenos atmosféricos, como o chamado de raio em bola, diz o astrofísico australiano Stephen Hughes.

O cientista fez um detalhado estudo sobre um evento incomum ocorrido em 2006, quando grandes meteoros foram observados no céu de Brisbane (leste da Austrália).

Sua aparição ocorreu ao mesmo tempo em que um objeto brilhante e verde foi visto sobre montanhas da região.

Hughes criou uma teoria relacionando o objeto – supostamente um raio em bola, fenômeno raro que às vezes se segue a relâmpagos – aos meteoros.

A ideia de Hughes é que a passagem de um dos meteoros pode ter desencadeado momentaneamente uma conexão elétrica entre a atmosfera e o solo, provendo energia para que um raio em bola ‘altamente luminoso’ aparecesse sobre as montanhas.

Sua explicação está descrita na revista especializada “Proceedings of the Royal Society”.

Fenômenos elétricos

O cientista diz que o extraordinário episódio, testemunhado por diversas pessoas, fez com que muitas acreditassem ter visto um óvni.

‘Se você une fenômenos atmosféricos não explicados, talvez de natureza elétrica, à psicologia humana e ao desejo de ver algo – isso pode explicar a visão de óvnis’, disse Hughes à BBC News.

O cientista, da Universidade de Tecnologia de Queensland, começou o estudo após ter sido chamado por uma TV local para explicar as fotos da bola de fogo tiradas por cidadãos comuns.

As bolas de fogo são meteoros particularmente luminosos e produzidas por fragmentos de rocha espacial e que, assim como estrelas cadentes, cruzam o céu a uma alta velocidade.

Pelo menos três delas foram vistas no leste australiano na noite de 16 de maio de 2006.

Depois, um fazendeiro local afirmou ter visto uma bola luminosa verde descendo uma encosta perto de Brisbane.

O fazendeiro pensou inicialmente que se tratasse de um avião se acidentando, mas uma busca policial não encontrou destroços.

Um raio em bola parece ser uma explicação óbvia para a bola verde, disse Hughes. Essas brilhantes esferas de luz não são totalmente compreendidas – geralmente são associadas a relâmpagos, mas não havia registros de tempestade elétrica na noite de 16 de maio de 2006.

Hughes não oferece novas explicações sobre as causas do raio em bola, mas levanta a hipótese de que a passagem dos meteoros tenha provocado atividade elétrica na região.

Outro cientista, John Abrahamson, da Universidade de Canterbury (Nova Zelândia), que estudou os raios em bola, considerou a teoria de Hughes ‘relativamente verossímil’ e com ‘conexões interessantes’.

Mas, ressaltou, ‘falta muito até que todos estejam satisfeitos com a solução (para o mistério associado a óvnis)’.

Hughes disse que seus estudos têm o objetivo de iniciar um debate sobre o tema. ‘Não é uma teoria vigorosa, é mais uma sugestão que pode valer a pena que seja explorada.’

Outro artigo com informações adicionais, e algumas repetidas.

Astrofísico sugere ligação entre relâmpagos esféricos e meteorosAstrofísico sugere ligação entre relâmpagos esféricos e meteoros. Inovação Tecnológica, em 2 de dezembro de 2010.

Raios em bola

Relâmpago esférico, relâmpago circular, relâmpagos em bola, raios em bola.

É quase tão difícil dar um nome ao episódio quanto descrevê-los.

Há casos documentados de bolas tão luminosas quanto uma lâmpada de 100 watts, que não emitiam nenhum calor, mas que derreteram vidros de janelas. Elas parecem ter “vida própria”, ao se deslocar de forma aparentemente suave.

Mas a maioria desses fenômenos acontece em altas altitudes, o que faz com que sejam rapidamente catalogados como objetos voadores não identificados e associados a discos voadores.

Como os nomes indicam, há uma grande tendência dos estudiosos em associar o fenômeno aos relâmpagos e aos raios.

OVNI de Brisbane

O astrofísico australiano Stephen Hughes, resolveu estudar um deles. O cientista fez um detalhado estudo sobre um evento incomum ocorrido em 2006, em Brisbane, no leste da Austrália, quando um objeto brilhante e verde foi visto sobre as montanhas da região.

Ao mesmo tempo, grandes meteoros foram observados no céu da cidade.

O episódio virou uma espécie de “ET de Varginha” da Austrália.

Hughes agora criou uma teoria relacionando o objeto – supostamente um relâmpago esférico – aos meteoros vistos e fotografados sobre a cidade.

A ideia de Hughes é que a passagem de um dos meteoros pode ter desencadeado momentaneamente uma conexão elétrica entre a atmosfera e o solo, provendo energia para que um raio em bola “altamente luminoso” aparecesse sobre as montanhas.

Fenômenos elétricos

O cientista diz que o extraordinário episódio, testemunhado por diversas pessoas, fez com que muitas acreditassem ter visto um OVNI.

“Se você une fenômenos atmosféricos não explicados, talvez de natureza elétrica, à psicologia humana e ao desejo de ver algo – isso pode explicar a visão de OVNIs”, disse Hughes à BBC News.

O cientista, da Universidade de Tecnologia de Queensland, começou o estudo após ter sido chamado por uma TV local para explicar as fotos da bola de fogo tiradas por moradores da cidade. Pelo menos três delas foram vistas no leste australiano na noite de 16 de maio de 2006.

Depois, um fazendeiro local afirmou ter visto uma bola luminosa verde descendo uma encosta perto de Brisbane. O fazendeiro pensou inicialmente que se tratasse de um avião se acidentando, mas uma busca policial não encontrou destroços.

Um relâmpago esférico parece ser uma explicação óbvia para a bola verde, disse Hughes.

Não existe ainda nenhuma teoria para explicá-las, embora já tenham sido associadas a relâmpagos – mas não havia registros de tempestade elétrica na noite de 16 de maio de 2006.

Meteoros e relâmpagos esféricos

Hughes não oferece novas explicações sobre as causas dos relâmpagos esféricos, mas levanta a hipótese de que a passagem dos meteoros tenha provocado atividade elétrica na região. Como as duas coisas se interrelacionam ele não explica.

Outro cientista, John Abrahamson, da Universidade de Canterbury (Nova Zelândia), que estudou os raios em bola, considerou a teoria de Hughes “relativamente verossímil” e com “conexões interessantes”.

Mas, ressaltou, “falta muito até que todos estejam satisfeitos com a solução (para o mistério associado aos OVNIs)”.

Hughes disse que seus estudos têm o objetivo de iniciar um debate sobre o tema. “Não é uma teoria vigorosa, é mais uma sugestão que pode valer a pena que seja explorada.”

Bibliografia

Green fireballs and ball lightning. Stephen Hughes. Proceedings of the Royal Society. December 1, 2010. Vol.: Published online before print. DOI: 10.1098/rspa.2010.0409.

OBSERVAÇÕES

No segundo artigo, há equívocos sobre os raios bola. Muitos ocorrem próximos do solo, tanto que a hipótese explicativa do silício vaporizado, de John Abrahamson, foi uma das mais esperançosas durante algum tempo. O fenômeno ainda é inexplicado mas possui características relativamente uniformes, de modo que a reticência de Abrahamson em considerar a teoria de Hughes apenas  “relativamente verossímil” e com “conexões interessantes” para explicar OVNIs é perfeitamente compreensível.

Saiba mais sobre raios-bola e suas limitações explicativas para eventos ufológicos na categoria Relâmpago Globular.

É sempre bem vindo o interesse científico em pesquisar fenômenos anômalos, especialmente quando esse interesse é acompanhado do reconhecimento quanto às dificuldades em enquadrá-los.

FICHAMENTO

Data: 20101201.

TAGS: Meteorologia, Personalidades, Ufologia.

Acesse Artigos Similares.

_____________________
Entenda melhor qual a relação desse assunto com a ufologia, ou por que ele nos interessa, conhecendo o significado das tags e outros parâmetros de fichamento em Estruturação de Dados.

Críticas, acréscimos ou sugestões, comente ou Entre em Contato.
Caso tenha interesse, saiba COMO CONTRIBUIR com nossas pesquisas.

Comente

COMENTÁRIO

ATENÇÃO: Comentários são públicos. Para manifestações privativas, utilize Nosso Formulário. Comentários desrespeitosos, infundados ou fora de contexto serão removidos.

*

© 2003, 2010-2015. Ufologia Objetiva. Direitos reservados.
Cópias sem fins lucrativos permitidas, desde que citada a fonte.