Ailsa Maihiesen, Port Moresby

A página não foi completamente carregada ou o navegador não suporta JavaScript. Textos Assim correspondem às notas.

Segue reprodução do conteúdo de carta publicada na primeira seção do trabalho de John Abrahamson sobre relâmpagos globulares.Recently reported sightings of ball lightning: observations collected by correspondence and Russian and Ukrainian sightings. John Abrahamson; A. V. Bychkov e V. L. Bychkov. Phil. Trans. R. Soc. Lond. A 2002, 360, 11-35. Acesso em 07/07/2010.

Seção 1

(a) Em condição sem tempestade mas com vento, possível contato de bambu com estrutura de aço, penetração em paredes.

Ailsa Maihiesen, Port Moresby, PNG. Carta de Camberra, Austrália, 2000.

Eu vi um relâmpago globular quando morava em Port Moresby PNG. Eu morava em uma casa bem ao lado de uma rocha íngreme, com vista para o oceano. A casa na verdade era assentada ao lado da rocha e nós tínhamos um grande terraço contruído de metal e madeira (com suportes e metal muito grandes e altos) – crescendo atrás dessa estrutura haviam grandes e numerosas varas de bambu.

O dia em que vi o relâmpago globular estava totalmente sem tempestades, mas com muito vento.

O relâmpago globular (que era efetivamente do tamanho de uma bola de críquete) saiu das touceiras de bambu, atravessou a parede em frente da nossa casa, moveu-se muito rapidamente pela sala de estar e desapareceu na parede dos fundos. O relâmpago globular movia-se aproximadamente na altura da cabeça e  a forma de bola era claramente visível. Depois que veio através do nosso muro da frente, ele não se moveu em linha reta para o muro de trás, na verdade pareceu fazer alguns desvios em torno da sala antes de passar pela parede de trás.

Era um belo dia ensolarado com céu azul e com o vento vindo do oceano. Naquele tempo nós consideramos a fricção do bambu nos suportes de aço como uma possível causa, de modo que cortamos alguns bambus e, como resultado disso, não tivemos essa experiência novamente – ou pelo menos era o que nós acreditávamos na época e o que eu considero ser o caso hoje.

AVALIAÇÃO

Considerando o atual estági do nosso Conhecimento Estabelecido, atravessar bareiras sólidas sem causar ou sofrer danos continua sendo uma característica constragendora para o que se supõe ser um fenômeno físico não quântico.

Relacionar o evento ao bambuzal parece apenas uma tentativa de racionalização por parte da testemunha. Acreditamos que seja remota a possibilidade de haver relação direta de causa entre os fenômenos. Pela descrissão, imaginamos que tenha sido uma aparição breve, fichando dessa forma. Assumimos como data o ano da carta e aplicamos relevância 1, em virtude da testemunha única, com biografia não revelada e ausência de outras corroborações.

Durand, Asher Brown

FICHAMENTO

Data: 20000000 | Latitude: -9.443800 | Longitude: 147.180267 | Relevância: 1 | Estranheza/Probabilidade: 31 | Testemunhas: 1 | Objetos: 1 | Forma: Globo | Tamanho: Menor | Brilho: Constante | Duração: 0-5s | Término: Afastou | Clima: Limpo | Raio-Bola: Baixo, Tipo 1 | Características: | Pesquisadores/Envolvidos: .

TAGS: Meteorologia, Ocorrências.

Acesse Artigos Similares.

_____________________
ESSA OCORRÊNCIA AINDA NÃO FOI ANALISADA COM PROFUNDIDADE. SUAS AVALIAÇÕES SÃO APENAS PRELIMINARES. CONTRIBUA COM A SUA OPINIÃO.

_____________________
Entenda melhor qual a relação desse assunto com a ufologia, ou por que ele nos interessa, conhecendo o significado das tags e outros parâmetros de fichamento em Estruturação de Dados.

Críticas, acréscimos ou sugestões, comente ou Entre em Contato.
Caso tenha interesse, saiba COMO CONTRIBUIR com nossas pesquisas.

Comente

COMENTÁRIO

ATENÇÃO: Comentários são públicos. Para manifestações privativas, utilize Nosso Formulário. Comentários desrespeitosos, infundados ou fora de contexto serão removidos.

*

© 2003, 2010-2015. Ufologia Objetiva. Direitos reservados.
Cópias sem fins lucrativos permitidas, desde que citada a fonte.